Afeto interespecífico

Há quem tema um cachorro que vive preso em grades 
ou sufocado por uma coleira...
Eu não, meu Deus! 
Eu temo esse ser manso, que anda livre e nos sufoca 
com o peso da maldade.


Joyce Kelly

13 comentários:

Camila Márcia disse...

Hummm o que está escondido é realmente o que deve ser temido!

Bjs Joyce!

kirah disse...

Ah pois...facto!

Bersebah disse...

Oi Joyce, minha querida, tudo bem contigo?

Não se preocupe com o que considera demora, de qualquer forma fico muito contente com sua visita em seu espaço, você é uma pessa muito agradavel.

Eu compreendo bem isso de faculdade, bem até demais. Tem horas que nosso tempo livre parece reduzido a quase nada.
Porem ainda assim é algo importante, pois é para nos proporcionar um futuro com condições melhores.

É interessante o que escreveu...Sophia...eu não sei exatamente por que, mas...de um momento a outro passei a gostar deste nome, o qual considero lindo. As vezes sinto que, tendo uma filha, ela ira carregar toda a força do nome, e se demonstrara alguem muito profunda, e madura, o suficiente para vira e mexe dar conselhos até mesmo para o pai. Parece que visualizo tem horas.

Agradeço os comentários sobre os trabalhos que coloco no blog, reluto em me considerar com um artista(acho muito para mim), porem, vira e mexe tenho recebido essa menção, acredito que posso aceitar.


Interessante o fato de ter conseguido dizer tão pouco em tão poucas palavras Joyce, fiquei encantado com esse pequeno texto, e a imagem bucólica que o acompanha. Concordo muito com o que a mensagem toda diz.

Afinal, somos nós, os seres humanos, livres, que causamos as maiores confusões nesse mundo.
Recebi inclusive um e-mail sobre isso...é de doer o coração ver a maldade humana...é algo para chorar...

Já os animais, os cães, por sua natureza, costumam ser doceis, companheiros, até mesmo nas ultimas instancias, no fria, na desolação, ainda assim permanecem com um afeto que não se presencia em um ser racional como somos.
Eu tenho três desses abençoados seres em casa, e aprecio todos eles.

Bem minha amiga, vou me despedindo, aguardando um recadinho seu hora dessas em meu espaço.

Fica um grande abraço

Wendel/Bersebah

Zélio Marulo Jr. disse...

E como eu temo estes seres, Joyce com poucas palavras você conseguiu descrever o maior medo da sociedade, a própria. E como é bom vir aqui de novo, estou um pouco ausente, correria... Mas vir aqui é criar ânimo para os novos dias.

Abraço Especial.
Bons Ventos!

RosanAzul disse...

Joyce, menina querida! Demorei mas cheguei!!!
Poucas mas sábias palavras... És certeira sempre!!
Saudades de ti minha querida! Aparece na "minha casa"!! Um beijo grande e boa semana! Ro

RosanAzul disse...

Eu novamente... passando para te deixar um abraço...;) saudades de ti menina linda!
RO

Cadinho RoCo disse...

O medo á antes manifestação de respeito.
Cadinho RoCo

lollyoliver disse...

Achei interessante. Amei o blog.
http://lollyoliver.wordpress.com/

Poisonique FP disse...

Linda reflexão. Você tem toda a razão.

http://www.poisonique.com/

Um Pouco Sobre Isso disse...

own, que post mais lindo!
Parabéns pelo blog, tudo de muito bom gosto!
Estou seguido, e sempre que puder volto para comentar!
Espero você no meu. Siga-me também!
umpoucosobreisso.blogspot.com

Marcus Alencar disse...

Isso que eu chamo de virar o jogo, ein, rs. Isso me fez lembrar uma frase que diz que o homem é o lobo do próprio homem, causador de sua destruição.

Seu Silva, o zelador fiel. disse...

REALMENTE O SER HUMANO ESTÁ SE MOSTRANDO SER MAIS ANIMAL DO QUE OS PRÓPRIOS ANIMAIS.

DEPOIS PASSA LÁ.


http://ozeladorfiel.blogspot.com/2011/08/maldita-universidade-federal.html

Amabe Rocha disse...

Penso dessa mesma maneira: Temo aos que podem realmente me fazer algum mal; os livres de pensamento ruim.

Postar um comentário

Seu comentário pode ser seu cartão de visita.

Obrigada pelo comentário!

 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti