A boca fala que sim, mas...


Às vezes, mesmo que relutemos em não querer lembrar algo, não conseguimos esquecer. Fica tão claro, tão latente em nossa mente, que parece que acabou de acontecer, quando na verdade já aconteceu faz muito tempo. Será que queremos esquecer mesmo? Será que estamos, de fato, lutando contra a nossa memória? Tentando não obedecê-la? Não. Foi algo intenso... Talvez uma intensidade que nos fez bem, e que por isso não conseguimos esquecer. Ficou ali, feito uma cicatriz. Podemos, por um momento, esquecer que ela está em nosso corpo, mas ela continua lá, ela não se apaga. Essa cicatriz pode ser resultado de um momento de aventura, que queríamos aproveitar e esquecer os riscos e acabamos “caindo”, se machucando, e lá está ela em nosso corpo, em nossa mente. Mas vivemos aquele momento e ele não sai de nosso pensamento, ele continua lá. Queremos remover a cicatriz, apagá-la... mas ela não sai, porque no fundo foi bom. Não foi boa a dor, a queda, foi boa a aventura, o que vivemos antes de ter caído. Talvez seja por isso que não consigamos esquecer. Na verdade, não é que não conseguimos, é que não queremos mesmo. A boca fala que sim, mas o coração nos mostra o contrário.

"Lembrar é fácil para quem tem memória. Esquecer é difícil para quem tem coração." (William Shakespeare)


Convivendo com a saudade


É inevitável não sentirmos saudade de algo ou alguém que foi bom ou que nos fez bem e que já não se encontra mais conosco. Claro! Acredito que ninguém sinta falta de algo que foi ruim. São vários os motivos que contribuem para que esse sentimento faça parte de nossa vida. Uma viagem, uma discussão, uma perda, desencontros que separam você de quem você tanto ama. Às vezes é uma saudade momentânea, onde temos a certeza de que em breve cessará. Outras já não nos permitem essa certeza positiva, pois temos a convicção de que não teremos ou não veremos mais o que foi tão importante para nós. O que fazer nesses momentos? Como aprender a conviver com esse sentimento? Se um cheiro, uma palavra pronunciada por alguém, uma foto, uma escrita em uma folha de papel nos faz lembrar essa pessoa e nos faz sentir um aperto no peito só em pensar que não a veremos nunca mais. Às vezes estamos tão próximos das pessoas que amamos, que nos damos bem e não sabemos aproveitar intensamente esses momentos. Porém, chega um dia em que iremos nos separar por algum motivo. E é nesse momento que percebemos o quanto amamos aquela pessoa, o quanto ela era importante para nós. É por esse motivo que a saudade começa a fazer parte da nossa vida. Porque alguém que amamos não está mais conosco, talvez ela nem volte e irá nos restar apenas a lembrança dos bons momentos que passamos juntos.

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já... (Pablo Neruda)


E quando menos se espera...




Qual é a idade certa para amar? Há uma idade certa? Um momento certo? Para alguns, o amor surge tão cedo. Quando o seu real valor ainda parece imperceptível. Mas ali chegou e ali permanece, até que o reconheça e enfim o saiba aproveitar. Já para outros, ele tarda um pouco. Passam-se alguns anos, e a espera parece sufocar quem ainda não sentiu o amor em sua vida. Aquele amor que há entre um homem e uma mulher. Para estes, o questionamento é inevitável. Quando será a minha vez? Quando enfim amarei e serei amada? A ansiedade por esse momento é tamanha que em meio a olhares e palpitações do coração, muitos acreditem que ali está o seu verdadeiro amor. Possa ser que sim, que essa pessoa seja, realmente, o grande amor de sua vida, ou talvez, seja só mais um sentimento sem nome. Aquele que te confunde e te deixa sem saber o que realmente sente. Porém, um dia, esta espera e até mesmo exaustiva procura chega ao fim. Um dia você encontrará aquela pessoa que fará seus olhos brilharem, seu coração acelerar e todo o seu corpo tremer. Ela pode chegar quando você tem apenas 16 anos ou quando você já está com 50. Mas ela chega. E não importa a idade de ambos e nem quanto tempo ficarão juntos. O importante é que o amor que existe entre vocês seja verdadeiro, especial e acima de tudo inesquecível.

Não busqueis incessantemente o amor. Ele virá... não como algo efêmero, mas como algo tão intenso que nem o tempo poderá suprimir. (Joyce Kelly)


 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti